segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Aqui, onde o pó nunca foi limpo
Aqui, neste fragmento de céu
Andam anjos a brincar com o que eu sinto
Andam cães a devorar o que foi meu

E enquanto eu olho, tonta, para o passado
Há um espelho à minha frente, e não sou eu.



Mariana Reis