quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Este não saber de nada e nada querer
Este não fazer de conta
Este marasmo
Dá-me tamanho fervor, e tal prazer
Que hoje já pus de parte o meu sarcasmo...

Coisa estranha, esta de não saber ser
De ter sempre a alma inerte, sem um espasmo...



Mariana Reis

Sem comentários:

Enviar um comentário